Escreva a sua pesquisa

17 de março de 2017

10 alimentos que aceleram o metabolismo

sexta-feira, março 17, 2017
Você sofre de metabolismo lento? Já fez dietas e mais dietas e teve poucos ou nenhuns resultados e está a começar a ficar desmotivado sem saber o que fazer? Então este artigo é para si. Existem formas de acelerar o metabolismo de forma natural e hoje irei dar a conhecer 10 alimentos que ajudam a acelerar o metabolismo lento.
Mas afinal o que é o metabolismo?
O metabolismo é um processo de transformações químicas que acontece no nosso organismo que garante a reprodução e crescimento de células. Ele divide-se em anabolismo e catabolismo. Quando o catabolismo é superior ao anabolismo, o organismo perde massa, tornando o metabolismo mais rápido, quando acontece o contrário, ou seja o anabolismo é superior catabolismo, o metabolismo torna-se lento, e o organismo cresce e ganha mais massa. O ideal é o organismo estar em homeostase, ou seja os dois processos tem que estar em equilíbrio.

Quais os alimentos que tornam o metabolismo mais rápido?
Existem de facto alguns alimentos que tornam o metabolismo, veja alguns exemplos:

1. Limão e Laranja
Bem como todas as outras frutas cítricas. Devido à elevada quantidade de Vitamina C, estas frutas ajudam bastante o metabolismo. Quem não conhece a dica da água com limão em jejum de manhã, nos programas para perder peso?

2. Bróculos
É considerado um super alimento, pois é rico em cálcio, vitamina D, A e K, e melhor acelera o metabolismo.

3. Especiarias/Temperos
Sim, os sabores picantes aceleram o metabolismo. Alguns exemplos são a pimenta, o gengibre e as sementes de mostarda.

4. Ómega 3
Os alimentos ricos neste ácido gordo, como o salmão, o atum, o azeite extra virgem e espinafres, são ótimos para o organismo e para o metabolismo ficar mais rápido. Atenção que os alimentos ricos em ómega 3 não devem ser cozinhados em altas temperaturas nem ser fritos, pois as suas propriedades irão desaparecer.

5. Cereais integrais
Por serem ricos em carboidratos complexos e nutrientes, alimentos como o arroz e massa integral, aveia e quinoa, são indicados para acelerar o metabolismo. Os carboidratos são libertados de forma mais lenta evitando assim os picos de insulina.



6. Maçã
É um dos alimentos com menos calorias e para além disso ainda ajuda a colocar o metabolismo mais rápido, por isso esta fruta está sempre incluída em qualquer dieta para emagrecer.

7. Chá verde
Este poderoso chá também está sempre presente em qualquer programa de perda de peso, devido às suas propriedades. A cafeína ajuda imenso na perda de peso devido à acção que esta tem no metabolismo.

8. Alimentos ricos em vitamina B
Estes alimentos demoram mais tempo a serem digeridos no organismo, por isso são mais saciantes. Alguns exemplos são: castanhas, abacate, couve, espinafre e levedura de cerveja.

9. Amêndoas
Para além de fornecerem vitaminas e fibras ao nosso organismo, ainda são bastante saciantes, sendo assim óptimos snacks para o lanche e entre refeições. 

10. Frutos vermelhos
Poucas calorias, ricas em antioxidantes e fibras, e com um sabor incrível, não são qualidades que chegue para as incluir no seu programa de emagrecimento? Se sente falta de doce, são a escolha mais acertada!

Veja também

24 de fevereiro de 2017

Saltar à corda - Conheça os seus beneficios

sexta-feira, fevereiro 24, 2017
Confesse! Que saudades de ser criança e saltar à corda! Todas as crianças adoram, e até competem entre si para ver quem consegue aguentar mais tempo. É um facto que é um hábito, que infelizmente, se vai perdendo ao longo dos anos. E quer saber o que é o mais engraçado? Por vezes quando pensámos em praticar mais actividade física, quer por prazer ou por necessidade, nos esquecemos completamente de incluir este nosso velho hábito. E acreditem, é um erro tão grande, pois é dos exercícios mais poderosos que existem no que diz respeito ao emagrecimento.
Benefícios de Saltar à corda
  • Tonifica os músculos
  • Ajuda a combater a celulite
  • Desenvolve a coordenação motora e agilidade
  • Aumenta a resistência do corpo
  • Proporciona condicionamento cardiovascular
  • Queima calorias (cerca de 500 a 800 por hora)


  • Melhora a capacidade aeróbica
  • Queima a gordura e modela as curvas
  • Aumenta a sua auto-estima
  • Fácil e prático, pode praticá-lo em qualquer lado e a qualquer hora
  • Devido à sua intensidade e quantidade de músculos envolvidos, com 5 a 20 minutos por dia e com 3 a 4 sessões por semana são suficientes para começar a sentir os resultados benéficos do esforço.
E então ficou convencido para começar a saltar à corda?

30 de março de 2016

10 Mentiras (em que acreditou) sobre a Hipertensão Arterial

quarta-feira, março 30, 2016
A pressão arterial é a força com que o sangue circula nas artérias e veias. Conheça alguns mitos sobre a hipertensão, uma doença silenciosa e sem sintomas.

1. A medicação para a hipertensão afeta o desempenho sexual
Certos medicamentos anti-hipertensores (betabloqueantes, diuréticos ou a a-metildopa), podem alterar a resposta sexual. No entanto, existem à disposição no mercado inúmeros medicamentos efetivos e bem tolerados que minimizam este efeito secundário.

2. Quando a pressão está baixa, colocar uma pitada de sal debaixo da língua resolve
Pode elevar temporariamente o nível da tensão, mas para o efeito, não é a melhor forma de resolver a situação. Para elevar a pressão, o corpo deverá reter líquidos e isso não acontece imediatamente com a ingestão de sal. Como tal, a forma ideal para minorar os desconfortos da pressão baixa passa pela ingestão de líquidos (por exemplo, água) e, caso a pessoa esteja muito sintomática, deve deitar-se no chão mantendo as pernas elevadas acima da cabeça.

3. A hipertensão costuma causar sintomas
A hipertensão não costuma causar sintomas, principalmente em hipertensos crónicos. Por este motivo, a doença é conhecida como a "doença silenciosa". Sintomas como dor de cabeça, mal-estar, tonturas e hemorragia nasal não são um bom indicador da doença.

4. A hipertensão arterial é curável
Esta patologia pode ter cura, mas numa minoria dos casos. Em menos de 10% dos hipertensos encontramos uma causa curável. Na maioria das pessoas, a hipertensão é uma doença causada por diversos fatores (designada como doença multifactorial), atuando de uma forma conjunta e complexa. Geralmente não tem cura e é crónica.

5. As pessoas devem apresentar uma pressão arterial constante
A tensão costuma variar de acordo com as atividades exercidas pelo indivíduo. A pressão arterial costuma ser maior em situações de stress, excitação ou esforço físico. Durante o sono, costuma haver uma queda fisiológica da tensão. Os idosos apresentam uma grande variabilidade da pressão arterial, podendo num mesmo dia apresentar valores discrepantes em curtos intervalos de tempo.



6. É normal que as pessoas idosas tenham uma pressão arterial mais elevada
Com a idade, pode verificar-se um aumento da tensão máxima ou sistólica, enquanto que a pressão mínima ou diastólica não aumenta (ou até diminui) após os 50 anos. Tanto para adultos como para idosos, uma pressão arterial sistólica maior ou igual a 140 mmHg é considerada elevada.

7. A mulher tem sempre uma pressão arterial mais baixa
Até entrar na menopausa a mulher sofre influência dos estrogénios que atuam com um efeito protetor ao nível da tensão arterial. Mas esse fator não influencia significativamente a aferição da mesma.

8. Iniciar a medicação pode deixar o organismo dependente
A grande maioria dos hipertensos que inicia uma medicação anti-hipertensora acaba por usá-la de uma forma contínua. No entanto, mudanças dos hábitos de vida poderão resultar numa normalização da pressão arterial. Nestes casos, a medicação anti-hipertensora poderá ser ajustada ou suspensa.

9. Uma vez que a tensão está controlada, poderei suspender a medicação
A normalização da tensão costuma ser resultado da combinação de modificações no estilo de vida e da medicação. Como a ação dos medicamentos é de carácter transitório (e daí a necessidade de tomas regulares dos mesmos), a sua suspensão elevará novamente a tensão.

10. Sou uma pessoa stressada, por isso a minha pressão arterial não se controla
O stress, tal como outros fatores, apresenta influência na oscilação da tensão, inclusivé em indivíduos saudáveis. Contudo, não impede de controlar a doença, através da medicação anti-hipertensora prescrita e hábitos de vida saudáveis.

28 de setembro de 2015

Alimentos ricos em Ácido Fólico

segunda-feira, setembro 28, 2015

O ácido fólico permite que o corpo execute muitas funções essenciais, incluindo a biossíntese de nucleótidos em células, a síntese de DNA e de reparação, criação de células vermelhas do sangue e prevenção da anemia. O ácido fólico, também conhecido como vitamina B9, é conhecido principalmente pela prevenção de deformidades no feto, sendo assim indicado para mulheres grávidas, portadores de doença de Alzheimer e vários tipos de cancro.
Existem alimentos que por si só são ricos em ácido fólico, evitando a sua procura em suplementos.

Alimentos ricos em ácido fólico

Vegetais escuros – Os alimentos com folhagem escura, são os mais saudáveis do planeta, com muitas fibras e também ácido fólico. Os mais ricos são o espinafre, a couve, o nabo e a alface.

Espargos - O espargo é talvez um dos alimentos mais ricos em nutrientes dentro do reino vegetal. Consumir apenas uma chávena de espargos cozidos pode fornecer aproximadamente 65% de suas necessidades diárias.

Brócolos - Além de ser um excelente alimento para a desintoxicação e para livrar impurezas, o brócolos é também rico em fibras e excelente fonte de ácido fólico.

Frutas - Muitas frutas contêm ácido fólico, mas frutas cítricas tem teor ainda mais alto, como a laranja e a toranja. Outros frutos igualmente ricos são o mamão, a uva, a banana, o melão, os morangos e as framboesas.

Feijões, ervilhas e lentilhas - Alguns grãos também são alimentos ricos em ácido fólico, entre eles o feijão, as ervilhas e as lentilhas. Sabe-se que uma tigela pequena de qualquer tipo destes grãos pode fornecer a maioria de suas quantidades diárias recomendadas de ácido fólico.

Abacate – A fruta famosa graças ao guacamole, é um alimento e tanto quando o assunto é quantidade de ácido fólico. Além de ser um dos melhores alimentos ricos em ácido fólico, é também uma excelente fonte de ácidos graxos, vitamina K e fibras alimentares.

Quiabo - O quiabo é um dos alimentos mais ricos em nutrientes. Apenas uma xícara de quiabo cozido pode fornecer cerca de 37 mcg de ácido fólico.

Couve de Bruxelas - Não há como negar que a couve de Bruxelas é uma das melhores fontes de ácido fólico. Ingerir uma chávena de couve de Bruxelas cozida pode fornecer cerca de 25% da sua quantidade diária recomendada.

Sementes e nozes – Não importa que sementes sejam, todas estão incluídas. Consumir sementes cruas, germinadas ou salpicadas sobre uma salada irá adicionar uma porção saudável de ácido fólico à sua dieta alimentar.

Couve-flor - Este vegetal crucífero é normalmente considerado como um dos melhores alimentos com vitamina C, mas também é uma grande fonte de ácido fólico.


Beterraba – É uma grande fonte de antioxidantes e também ajuda no processo de desintoxicação, tornando-a num dos melhores purificantes naturais do fígado do mundo. Essas características já seriam suficientes para adicionar o alimento à sua dieta, porém, beterraba também é conhecida como um dos principais alimentos ricos em ácido fólico.

Milho - Contém uma abundância de ácido fólico. Apenas uma chávena de milho cozido possui cerca de 76 mcg da substância, respondendo por quase 20% de suas necessidades diárias.

Aipo - O aipo é frequentemente considerado como um superalimento para ajudar a eliminar as pedras nos rins, mas também uma grande fonte de ácido fólico.

Cenouras - Apenas uma chávena de cenouras cruas, fornece quase 5% de suas necessidades diárias recomendadas de ácido fólico.

Abóbora – A abóbora, bem como a courgette são também fonte de ácido fólico. Uma chávena de abóbora contém 57 mcg de ácido fólico (14%VRD), já a courgette contém 36 mcg de ácido fólico (9% VRD).

19 de setembro de 2015

Sabia que o Alzheimer pode ser transmissível?

sábado, setembro 19, 2015

Uma publicação da revista científica Nature indica que pode ser possível transmitir a Doença de Alzheimer. A pesquisa foi realizada por cientistas da University College London e foi realizada por meio de autópsias de cérebros de oito pacientes.

O Alzheimer costuma ocorrer em pessoas de idade avançada e acontece pela “morte” de células cerebrais e do encolhimento do órgão, prejudicando as suas funções. Já a Doença de Creutzfeldt-Jakob (CJD) acomete jovens e também afeta o cérebro, ocasionando demência e distúrbios do movimento.

Segundo os médicos, há duas formas de detectar o Alzheimer por meio de exames: encontrar um aglomerado de fragmentos proteicos da proteína beta-amiloide (placas amiloides) ou um emaranhado de uma proteína chamada tau.

Para a descoberta, os cientistas ingleses estudaram o cérebro de pacientes recém-falecidos em função do CJD. Todos contraíram este mal através de hormonas de crescimento injetadas quando ainda eram crianças. Destes oito corpos, sete apresentavam depósitos amiloides, um dos sinais de Alzheimer. No entanto, todos eram muito jovens para sofrer deste mal de maneira “natural”. Na teoria, amiloides podem ser transmitidos acidentalmente em procedimentos médicos e cirúrgicos.

Os cientistas, então, entenderam que as hormonas ingeridas, podem ter transmitido as pequenas quantidades de beta-amiloides, além das proteínas que causaram o CJD.

Este é um estudo prévio, por isso, não se pode concluir que as hormonas foram a causa do acúmulo amiloide. Mas mesmo que seja confirmado o risco de transmissão do Alzheimer, há fatores mais determinantes, como idade, genética e hábitos.

Popular

Follow by Email