Escreva a sua pesquisa

24 de agosto de 2013

Acidente vascular cerebral (AVC) - Causas, sintomas e tratamentos

sábado, agosto 24, 2013
O acidente vascular cerebral é uma doença caracterizada pelo inicio agudo de um défice neurológico funcional, com distúrbios circulatórios arterial ou nervoso com isquemia de um dos hemisférios cerebrais ou o comprometimento de um área especifica.
Algumas formas de Acidente Vascular Cerebral
  • Embolia cerebral trombo-embolia
  • Acidente vascular isquémico (isquemia cerebral aguda)
  • Acidente vascular hemorrágico
O acidente vascular cerebral consiste na oclusão de um vaso sanguíneo de natureza trombótica ou por êmbolos sépticos que interrompe o fluxo de sangue a uma região especifica do cérebro, interferindo com as funções neurológicas dependentes da região afectada. O acidente vascular hemorrágico apresenta uma hemorragia local, aumento de pressão e edema cerebral. Pode-se ter originado num traumatismo craniano. Em todos os casos, o tamanho e a localização a área afectada, que deixa de ser irrigada, vão determinar a gravidade da doença e o seu prognóstico. Se a lesão for de granes dimensões, a morte pode ser iminente, ou ficarem danificadas diversas funções orgânicas; se a obstrução for parcial, o comprometimento de certas funções é pequeno e a sua recuperação e quase completa

CAUSAS OU FACTORES DE RISCO
Hipertensão arterial (sistólica, diastólica ou ambas) - induz um estreitamento progressivo das arteríolas cerebrais. Estudos feitos mostraram existir um trio perfeito entre o consumo de sal, a hipertensão e a hemorragia cerebral.
Doença cardíaca, como a aterosclerose, viscosidade do sangue e o aumento de gorduras a circular na corrente sanguínea (hiperlipidemia) e fibrilhação arterial, insuficiência cardíaca congestiva.
ALCOOLISMO - a bebida em excesso aumenta o risco de acidente vascular cerebral.
TABAGISMO -  o hábito de fumar aumenta consideravelmente o risco de AVC.
OBESIDADE - a oclusão do vaso pode ocorrer por arteriosclerose, embolia, inflamação, doença intrínseca ou por traumatismo.

OUTROS FACTORES DE RISCO
  • Sedentarismo
  • Stresse
  • Erros alimentares (excesso de sal e consumo de carnes gordas, pois têm gorduras saturadas e colesterol)
  • Os idosos, pessoas de meia-idade, diabéticos, obesos, fumadores, etc. são grupos de risco, assim como as mulheres que tomam a pílula como meio anticoncepcional.
SINTOMAS
  • Fraqueza num dos membros superiores ou inferiores (perna ou braço), ou face; a hemiplegia aparece no lado oposto ao da hemorragia (paralisia que atinge um dos lados do corpo).
  • Desvio do olhar ou perda de visão total ou parcial, transitória ou definitiva.
  • Perda de sensibilidade num membro.
  • Afasia (alteração na linguagem e na fala dificuldade de articular as palavras).
  • O ataque agudo manifesta-se sem aviso, surge subitamente. Um doente nestas situações deve ser imediatamente levado ao hospital para tratamento de urgência.
PREVENÇÃO
Abandono do tabaco e do álcool mostra um declínio da sua incidência.

TRATAMENTOS NATURAIS

ALCACHOFRA - Comer alcachofras em abundância e tomar chá das suas folhas.
ALFACE - Chá das suas folhas e talos, 60gr por um litro de água, tomar uma chávena 4 vezes ao dia.
ALHO - Usar liberalmente nas saladas, também está disponível em ervanárias o óleo de alho em cápsulas. Tomar 3 cápsulas por dia.
ALHO E LIMÃO - Amassar 2 dentes de alho, adicionar o sumo de um limão e tomar duas vezes ao dia.
BERINGELA - Usar liberalmente nas refeições, excepto na forma frita. Pode tomar na forma de sumo ou cortá-la em pedaços pequenos ou picada, deixá-la de molho em água, 12 horas depois, coar e beber o liquido.
CEBOLA - Comer à vontade.
CENOURA - Comer duas ou três cenouras cruas por dia.
ESPINAFRE - Usar liberalmente na dieta.
ABACAXI - Fazer uma dieta exclusiva ou substituir algumas refeições por esta fruta.
AMEIXA - Pode incluir ameixa fresca na dieta.
LIMÃO - Terapia do Limão.
TANGERINA - Pode fazer refeições exclusivas algumas vezes.
UVA - Usar óleo de caroço de uva em substituição de óleo de soja. Pode ainda durante dois dias fazer dieta exclusiva de uvas.

21 de agosto de 2013

Doenças do Sistema Nervoso - Cefaleias ou dor de cabeça

quarta-feira, agosto 21, 2013
As cefaleias são dores de cabeça fortes e persistentes que impedem de trabalhar ou mesmo de adormecer e é dos incómodos mais vulgarizados nos países civilizados.
As cefaleias atingem mais as mulheres do que os homens e muitas vezes são acompanhadas de náuseas.

Sintomas
  • Dor intensa unilateral na cabeça, em ataques breves que se repetem várias vezes ao dia, ou então pode ser constante, durante dias, semanas ou meses.
  • Náuseas.
  • Mal-estar.
  • Fotofobia (dificuldade em ver a luz).
  • Os sintomas neurológicos podem ser visuais, consistindo em ver luzes fortes a piscar, parestesias unilaterais da mão, faltar a voz.
Causas
São muito diversas as causas que se apontam e algumas são desconhecidas. Podem ser provocadas por simples resfriados e por sinusite, rinite, por prisão de ventre, doenças infecciosas, otites, alterações da pressão arterial.
Mas também o stresse e o cansaço, excessos alimentares e bebidas alcoólicas em demasia conduzem ao mesmo sintoma. A miopia e o astigmatismo e também o glaucoma podem causar cefaleias.
No caso da sinusite, as dores de cabeça estão associadas à infecção dos seios perinasais. Tem diversas localizações dependentes do seio atingindo. Se as dores de cabeça são muito frequentes, procure fazer exames médicos para um diagnóstico provável. Nas manifestações mais vulgares, basta remover-lhe a causa.

Tratamentos naturais
Se tem prisão de ventre, as consequências repercutem-se em dor de cabeça.
Em geral, o doente deve ficar em repouso num quarto escuro e tranquilo.
Batata - Aplicar uma compressa com rodelas de batata crua na fronte, durante 1 hora.
Repolho - Amassar as folhas de repolho e aplicar compressas na região frontal, durante 1 hora.
Limão - Beba água com limão. Friccione a parte dolorida com sumo de limão misturado com sumo de cebola.
Abacate - Tisana das folhas do abacateiro, 20g para 1 litro de água. Tomar uma chávena 3 vezes ao dia.
Clister - Faça uma limpeza intestinal com água de malvas, cavalinha ou camomila. Beba chá de ervas laxantes.
Geoterapia - Compressas de argila na região da fronte e nuca, 3 vezes por semana e durante 90 minutos. Espalhe a papa de argila na compressa uniformemente numa camada de 1 cm de espessura.
Hidroterapia - Banho escalda-pés com dois baldes de água, um quente e outro frio, iniciar o seguinte tratamento: Imergir os pés na água quente durante 4 minutos; depois, imergir os oés em água fria durante 1 minuto. Repetir este tratamento 3 vezes seguidas. Manter a água quente sempre à mesma temperatura. Terminar na água fria, enxugando bem os pés e caçar meias secas.
Faça um banho de vapor semanalmente.
Compressas frias sobre o ventre, renovando cada 15 minutos, durante 1 hora.

Popular

Follow by Email